agosto 2, 2017

Explore o mundo de 2088 em Tacoma

Por Steve Gaynor, Líder de Projeto em Tacoma

Ao criarmos Tacoma, sempre voltamos a um tema central: o que é “artificial”? Num mundo de artifícios, interagir com o “real” se torna exceção, não regra. Estou digitando isso num teclado real, mas está sendo traduzido em informação mostrada como luz na tela – as teclas e os meus dedos são reais, mas o resultado do meu toque nessas teclas são tão reais quanto um pensamento ou uma ilusão. Onde essas letras e palavras existem? Na sua tela? Em todas as nossas telas? Quantos servidores os contém, quantos olhos os observam?

Por mais irreais que possam ser, seu efeito é real, sua presença é real; sua existência está fazendo seu cérebro pensar nas palavras que você está lendo agora mesmo. Num mundo onde tanto de nossa experiência é digital, efêmera, mediada, é o abstrato, o simulado, menos real a nossa experiência do mundo e de nossas vidas que o físico, o prático, o literal?

E sendo assim, se a consciência é capaz de pensamento, raciocínio, empatia, ela é menos real que a mente humana, mesmo sendo ela “artificial”? Uma inteligência sem corpo, uma perspectiva sem olhos, uma presença tangível sem o bater de um coração – quantas pessoas você conhece online e que nunca viu ou tocou em realidade física, mas que não são menos “reais” que seus amigos ou familiares com quem você esteve junto por horas e horas? Sua presença, seu impacto em quem você é, pode ser tão real quanto qualquer um.

Num futuro onde a inteligência artificial está em todos os lugares que você vai e em todas os sistemas sociais nos quais vivemos, são essas consciências artificiais menos reais ou significativas para nós que as pessoas que conhecemos? Num futuro onde realidade aumentada sobrepõe nossa visão constantemente, nos mostrando um mundo através de lentes de informação digital, projeções 3D e interfaces sobrepostas, essa percepção mediada do mundo, essa informação artificial que enxergamos diretamente em nossa visão, é uma experiência menos “real” de nossas vidas?

O ano 2088 é distante, mas nem tanto assim. Assim que você embarcar na Estação Lunar Tacoma, você entrará num mundo onde tanto é artificial, mas esse artifício cria uma nova realidade. Prepare-se para experimentar vida onde inteligência artificial e realidade aumentada definem o dia-a-dia, onde as realizações e expectativas das pessoas sobre os mundos digital e físico se misturam e definem suas percepções. E, nesse mundo, onde a linha é tênue e os limites, mudados, em quem, ou em quê, você pode confiar?

Descubra o mundo de 2088 por conta própria em Tacoma, disponível agora no Xbox One e em disponível em breve no Windows 10 como um título Xbox Play Anywhere.

voltar