junho 16, 2017

E3 2017: fazendo amizades em Sea of Thieves

Por Mike Nelson, Editor no Xbox Wire

Comunicação é chave. Essa é a coisa mais importante pra se ter em mente quando for jogar Sea of Thieves, e tivemos a oportunidade de fazer isso na E3 2017. Nosso grupo era composto por gente que eu não conhecia, e assim assumi o papel de um colorido pirata com bússola e espada, sedento por aventura.

Depois de uma breve e amigável apresentação, rapidamente designamos funções para cada um. “Quem quer levantar a âncora?” “Quem quer içar as velas?” “Que alma corajosa quer tomar o leme?” Imediatamente fui até o leme e então pedi por diretrizes, pra que alguém consultasse o mapa enquanto meus outros companheiros faziam o navio funcionar.

Quando obtive todas as informações com o navegador, comecei a velejar para leste até encontrar uma ilha que parecia conter nosso tesouro (isso foi determinado antes, consultando a missão designada no começo da demo). Durante nossa breve viagem, pude acompanhar meus companheiros correndo pelo deck, disparando canhões e até subindo no mastro até o ninho do corvo pra tocar o sino (nada tinha sido avistado, eles só queriam tocar o sino mesmo).

Conforme nos aproximávamos da ilha, jogamos a âncora para posicionar bem o navio. E então tentamos fazer uso do método mais eficiente para chegar até a praia: via canhão. Um por um, entrávamos no canhão e disparávamos a nós mesmos para aterrizar no ponto mais próximo da pista de nossa missão, que era encontrar um túmulo a sudoeste da ilha.

Continuamos a vagar, procurando pelo lugar através das pistas e, fazendo isso, acordamos alguns piratas esqueletos nada amigáveis (pra ser justo, esse é o melhor tipo de pirata esqueleto). Desembainhamos nossas espadas, trocamos disparos e vencemos enquanto alguém gritava: “encontrei!”

Subindo a colina, encontramos o cemitério, demos os seis passos do oeste a sudoeste (seguindo as pistas), sacamos nossas pás e começamos a cavar atrás de nosso tesouro. Sucesso! O problema é que esse era um baú de bêbado – seja lá quem o carregasse, teria os controles aleatoriamente mudados, tornando a volta até o navio bem difícil (e bem engraçada também). Continuamos gritando comandos ao nosso camarada, tentando ajudá-lo a encontrar o caminho de volta, enquanto os mais intrépidos do time já chegavam até o navio, içando velas e puxando a âncora de volta.

Infelizmente, eles foram eficientes demais. Ainda estávamos nadando até o navio quando ele começou a navegar sem a gente nele! Enlouquecidamente, a tripulação jogou a âncora, e observamos o navio parar por completo. Quando estávamos todos à bordo e em segurança, era hora de navegar até nosso próximo destino para deixar nosso tesouro, coletar nossa recompensa e nos prepararmos para nossa próxima aventura – mas isso teria que esperar até uma outra oportunidade.

É fácil perceber como é divertido jogar Sea of Thieves no Xbox One, Xbox One X e no PC. Fazer amizade com desconhecidos (e aí começar a trabalhar junto) – ou reunir um grupo de camaradas ou melhores amigos – abre espaço para aventuras infinitas, seja buscando tesouros ou lutando com espadas contra piratas hostis. Mal podemos esperar para jogar mais e embarcar numa série de aventuras em alto-mar.

O jogo está atualmente em alfa, mas o time tem aceitado novos candidatos para elaborar críticas e comentários sobre o desenvolvimento do jogo. Basta entrar no Programa Insider de Sea of Thieves. Teremos muito mais pra compartilhar sobre Sea of Thieves nos próximos meses, então fique ligado aqui no Blog do Xbox até o lançamento, previsto pro começo de 2018.

voltar