maio 25, 2016

Desenvolvedores de Overwatch contam mais sobre o jogo

É sempre assim: sai um novo jogo da Blizzard, todo mundo para seja lá o que estiver fazendo pra jogar. É exatamente isso o que tem acontecido com Overwatch. Não importa se você seja fã de FPS ou não, se seja fã de partidas altamente competitivas ou se prefira algo mais solitário, você vai precisar – tipo, necessidade mesmo – experimentar essa maravilha. E dentro desse clima de ansiedade, conseguimos uma entrevista exclusiva sobre Overwatch com diversos de seus desenvolvedores, entre eles Jeff Kaplan, Michael Chu, Bill Petras e Aaron Keller. Se liga aí!

leia mais

maio 11, 2016

Alex Boiret, da CD Projekt Red, fala sobre a nova expansão de The Witcher 3

The Witcher III: Wild Hunt não se contenta em ser um dos melhores jogos do ano passado. Não, não mesmo. A expansão, Blood and Wine, prevista para chegar ao Xbox One muito em breve, é tão espetacular e gigante, que o jogo invade 2016 como uma das grandes experiências do ano! O Blog do Xbox comprovou isso de perto jogando cerca de uma hora e meia (!) de Blood and Wine e conversando com Alex Boiret, quest designer dessa expansão espetacular. Se liga aí no bate papo!

leia mais

maio 2, 2016

O ritmo vai te pegar em breve com 140

Por Jeppe Carlsen, Fundador da Jeppe Carlsen Games

Por favor, me permita apresentá-lo a 140, um jogo de plataforma minimalista e baseado em ritmo que vai chegar ao Xbox One muito em breve!

Eu fiz 140 como um projeto paralelo em meus tempos livros enquanto trabalhava como designer de quebra-cabeças na Playdead (desenvolvedores de Limbo e do vindouro Inside). O jogo tem músicas compostas pelo meu amigo e colega Jakob Schmid.

leia mais

abril 20, 2016

[indie da semana] – Steredenn

Por Matthieu Oger e Damien Mayance, co-fundadores do Pixelnest

Nós somos os desenvolvedores por trás do Pixelnest Studio e nosso jogo, Steredenn, chegou recentemente ao Xbox One. Trata-se de um jogo de navinha espacial épico e caótico, com pixels grandes e trilha sonora das mais explosivas! É uma mistura de shmups tradicionais (estão lembrados de Gradius ou R-Type?) e elementos modernos, tipo roguelike, ou geração procedural. É uma aventura infinita no cosmo: Você pilota uma pequena espaçonave, isolada de seu centro de comando, lutando contra intermináveis caras maus. E eles são realmente MUITO maus, nós garantimos.

leia mais

abril 4, 2016

Conheça Fernanda Hartmann, a voz de Beth Wilder em Quantum Break

Por Fernanda Hartmann, atriz e dubladora

Olá! Meu nome é Fernanda Hartmann. Tenho 28 anos, sou atriz desde os 14, dubladora há 2 anos e, embora a gente esteja conversando pela primeira vez aqui no blog, nós já nos conhecemos através de Quantum Break. Muito prazer, eu sou a voz brasileira de Beth Wilder. 🙂

leia mais